Brownie de café e manteiga de amendoim

17 de jul de 2015

by

In: RECEITAS

brownie_amendoim

O amendoim, essa maravilha de origem sul-americana, julga-se que começou a ser domesticada na região entre o Paraguai e o sudoeste do Brasil. Depois disso sua trajetória ganhou o planeta. Portugueses levaram a semente para a África e para o resto do mundo.

Espanhóis a cultivaram no México – e parece que chegou ao sul dos Estados Unidos pelas mãos de escravos africanos. O amendoim também foi amplamente plantado na Georgia e na Carolina do Sul. Tornou-se um produto de grande importância devido aos seus derivados, como óleo e manteiga.

A manteiga de amendoim é uma benesse que nós brasileiros conhecemos pouco. A versão nacional é cheia de açúcar e outras gorduras, muito diferente da consagrada peanut butter, presente em todos os lares americanos. Substituta da manteiga animal, nem doce nem salgada, presta-se a inúmeras receitas, ou somente para passar no pão.

Esta é a sugestão para um brownie que combina três ingredientes deliciosos: café, chocolate e amendoim. Procure a pasta de amendoim em casas de produtos naturais ou importados. É possível prepará-la em casa também.

Tempo de preparo: 60 minutos
Rendimento: 8 a 10 pedaços

Ingredientes

ingredientes do brownie de café

Massa de chocolate e café:

250 g de chocolate meio amargo derretido

1 colher (sopa) de café solúvel Santa Clara

1 colher (sopa) de manteiga em pomada

3 ovos

1 xícara de açúcar

¾ de xícara de farinha de trigo bem peneirada

1 colher (chá) de essência de baunilha

Massa de amendoim:

½ xícara de pasta de amendoim

1 colher (sopa) de manteiga em pomada

2 colheres (sopa) de açúcar

1 ovo

1 colher (sopa) de farinha de trigo


Modo de Preparo

Comece pela massa de chocolate e café

Comece pela massa de chocolate e café. Em uma vasilha, misture o chocolate derretido com a manteiga em pasta. Adicione os ovos, o açúcar, a essência de baunilha e misture bem.


inclua a farinha de trigo

Por último, inclua a farinha de trigo, misturando muito bem. Reserve.


prepare a massa de amendoim

Em seguida, prepare a massa de amendoim. Misture a pasta de amendoim com manteiga, ovo, açúcar e farinha. Cuide para que fique uma pasta bem macia.


coloque as massas em colheradas

Em uma forma untada, coloque as massas em colheradas, intercalando a de chocolate com a de amendoim.


puxe uma ara a outra

Com uma colher ou um garfo, puxe uma ara a outra para conferir um efeito marmorizado. Asse em forno pré-aquecido (180ºC) por 25 a 30 minutos.


Publicado originalmente em http://www.mexidodeideias.com.br/

Salada de rúcula com abóbora crispies e croquete de queijo de cabra

Gula-Gula_salada-de-croquete-de-queijo-de-cabra-rucula-e-abobora-cripies02_credito-RioFotos

Tempo de Preparo: Rápido – 30 minutos
Rendimento: 4 porções

Ingredientes

Salada
240 g de rúcula
40 g de abóbora crispies
20 croquetes de queijo de cabra
40 ml de redução de balsâmico
80 g de castanhas caramelizadas
20 ml de azeite

Castanhas caramelizadas

70 g de castanha de caju (picadas grosseiramente)
15 g de açúcar
Pimenta do reino a gosto

Croquete de queijo de cabra
90 g de cream cheese
160 g de queijo de cabra do tipo feta
5 ml de azeite
2 ramos de tomilho
Pimenta a gosto
2 claras de ovo
70 g de farinha de pão Panko
Óleo suficiente para fritar

Abóbora crispies
140 g de abóbora seca
27 g de açúcar

Modo de preparo

Abóbora crispies:
Retire a semente da abóbora e fatie finamente.
Salpique o açúcar e leve para assar no forno pré-aquecido a 180°C por 7 minutos.
Retire do tabuleiro ainda quente e reserve. As fatias devem estar crocantes.

Croquete de queijo de cabra:
Passe todos os ingredientes por um processador de alimentos (menos os ingredientes para empanar e fritar).
Faça bolinhas de 10 g e coloque para gelar.
Empane cada croquete na clara de ovo, depois na farinha. Reserve.

Castanhas caramelizadas:
Em uma frigideira de teflon, coloque todos os ingredientes até o açúcar derreter e formar um caramelo crocante.
Retire da frigideira e reserve em um recipiente de superfície lisa.

Salada:
Na hora de servir, frite os croquetes em óleo quente e escorra bem ao retirar.
Disponha a rúcula em uma travessa ou individualmente, em camadas alternando com os croquetes e os cripies.
Finalize com a redução de balsâmico e salpicando as castanhas caramelizadas.

Fonte: Nanda de Lamare do Gula Gula, Rio de Janeiro-RJ

Risoto de pera com pistache

3 de jul de 2015

by

In: RECEITAS

DSCN5102

Ingredientes:

  • 4 xícaras de café bem cheias de arroz arbóreo
  • 1 cebola média
  • 1 taça de vinho branco seco
  • 2 colheres de manteiga sem sal + 1 para finalizar
  • 2 litros de caldo de legumes
  • 100 gramas de queijo parmesão ralado
  • 1/2 xícara de chá de pistaches sem sal
  • 2 peras pequenas
  • sal e pimenta do reino moída à gosto
  • azeite de oliva

Preparo:

Etapa 1
O primeiro passo é ficar com o caldo pronto. Lave as peras e pique em pétalas finas. Numa panela maior coloque a manteiga e a cebola picadinha e deixe cozinhar um pouquinho. Adicione agora o arroz arbóreo e misture bem. Adicione a taça de vinho e deixe o álcool evaporar. Assim que o álcool  for absorvido pelo arroz começar a secar, comece a acrescentar as primeiras conchas do caldo.

Etapa 2
Adicione aos poucos colheradas do caldo e vá mexendo. Adicione, mexa sem parar, deixe o caldo secar e adicione mais, este processo é constante até o grão do arroz começar a ficar cozido e ao dente. Você agora não deve parar de mexer, não se esqueça de esfregar o fundo da panela com a colher deixando o fundo bem limpo para que o arroz não grude. Acrescente as fatias de pera e deixe o risoto secar um pouco mais e continue mexendo e experimentando, observando sempre a textura do arroz e continue acrescentando mais caldo.

Etapa 3
Depois de várias conchas de caldo, o arroz já deve estar quase no ponto, agora, adicione o pistache levemente triturado no socador. Acrescente o queijo ralado e acerte o sal. Desligue o fogo e pronto, coloque a última colher de manteiga, que deve estar gelada, no centro da panela e mexa pelas laterais até a manteiga derreter, isso servirá para dar brilho no seu risoto. Agora é só servir, salpique pistache na hora e um fio de azeite. Bom apetite!

fonte: Cozinha Travessa / foto: Cozinha Travessa

Melhores Vinhos do Brasil

30 de jun de 2015

by

In: NOTÍCIAS

,

Capa-Anuário-Vinhos-do-Brasil-2015-BACO-Multimídia

Para eleger os Melhores Vinhos dos Brasil em 22 categorias, um júri internacional, composto por sommeliers e enólogos, avaliou cerca de 700 rótulos de 87 produtores de sete estados, com a curadoria do jornalista Marcelo Copello.

A Grande Prova Vinhos do Brasil, foi a maior degustação às cegas de vinhos e espumantes nacionais até hoje. Comprovando a evolução desse mercado, que agora tem um anuário com os “Melhores Vinhos do Brasil” de 2015.

O Anuário Vinhos do Brasil 2015 é editado pela Baco Multimídia em parceria com o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin). São 164 páginas, que além do resultado, também apresentam matérias sobre o universo do vinho: gastronomia, saúde, comportamento, consumo, história, negócios e enoturismo; além de entrevistas com profissionais e dirigentes ligados ao setor. O Anuário está à venda nas principais livrarias do país.

Confira os Melhores Vinhos do Brasil em cada uma das 22 categorias:

Melhores-Vinhos-do-Brasil1

· Melhor Espumante Brut Branco: Cave Geisse Brut 2012, Vinícola Geisse, Pinto Bandeira-RS) www.cavegeisse.com.br

· Melhor Espumante Brut Rosé (Empate): Espumante Bossa Nº3, Vinícola Hermann, Bento Gonçalves-RS www.vinicolahermann.com.br e Espumante Yoo Boutique Brut Rosé, Décima, Caxias do Sul-RS http://www.decimavinhos.com.br/site/

· Melhor Espumante Extra-Brut/Nature: Espumante Extra Brut 2014, Vinícola Geisse, Pinto Bandeira-RS www.cavegeisse.com.br

· Melhor Espumante Prosecco/Glera: Espumante Aurora Prosecco, Aurora, Serra Gaúcha-RS www.vinicolaaurora.com.br

· Melhor Espumante Moscatel Branco: Espumante Moscatel Pedrucci 2013, Pedrucci, Garibaldi-RS www.casapedrucci.com.br

· Melhor Espumante Demi-Sec Branco: Espumante Demi-Sec, Courmayeur, Serra Gaúcha-RS www.courmayeur.com.br

· Melhor Espumante Moscatel/Demi-Sec Rosé: Espumante Casa Perini Aquarela Moscatel Rosado, Perini, Farroupilha-RS www.vinicolaperini.com.br

· Melhor Chardonnay: Cerro Da Cruz Chardonnay 2012, Nova Aliança, Campanha Gaúcha-RS www.novaalianca.coop.br

· Melhor Sauvignon Blanc: Miolo Reserva Sauvignon Blanc 2014, Miolo Wine Group, Campanha Gaúcha-RS www.miolo.com.br

· Melhor Gewüztraminer: RAR Collezione Gewürztraminer 2011, Miolo Wine Group, Campos de Cima da Serra-RS www.miolo.com.br

· Melhor Moscato: Moscato Giallo 2014, Giacomin, Flores da Cunha-RS www.giacomin.com.br

· Branco de Outras Castas e Cortes: Quiron Chardonnay / Sauvignon Blanc 2013, Cattacini, Serra Gaúcha-RS www.cattacini.com.br

· Tinto Cabernet Sauvignon: Aurora Cabernet Sauvignon Millesime 2011, Aurora, Serra Gaúcha-RS www.vinicolaaurora.com.br

· Melhor Merlot: Monte Paschoal Dedicato Merlot 2013, Basso, Serra Gaúcha-RS www.vinicolabasso.com.br

· Melhor Tannat: Tannat Casa Venturini Reserva 2012, Venturini, Campanha Gaúcha-RS www.casaventurini.com.br

· Melhor Pinot Noir: Viapiana Pinot Noir 2012, Viapiana, Serra Gaúcha-RS www.vinhosviapiana.com.br

· Melhor Cabernet Franc: Dunamis Cabernet Franc 2012, Dunamis, Campanha Gaúcha-RS www.dunamisvinhos.com.br

· Melhor Marselan: Cave Antiga Marselan 2007, Cave Antiga, Cotiporã-RS www.caveantiga.com.br

· Melhor Tinto de Outras Castas: Ancellotta Reserva 2014, Giacomin, Serra Gaúcha-RS www.giacomin.com.br

· Melhor Tinto Corte: Épico, Guatambu, Campanha Gaúcha-RS www.guatambuvinhos.com.br

· Melhor Rosé: Macaw Tropical Frisante Rosé, Perini, Farroupilha,RS www.vinicolaperini.com.br

· Melhor Doce/Fortificado: Reggio Di Castela 2004, Irmãos Molon, Serra Gaúcha-RS http://sinuelo.com.br/vinicola/

fonte: Cuecas na Cozinha

Camarão na moranga

Camarão na abóbora_thumb[2]

Receita de camarão sertanejo do chef Wanderson Medeiros, feita com camarões, creme de jerimum (abóbora) e um toque de leite de coco.

Camarão Sertanejo (Camarões em creme de jerimum e perfume de coco servido na abóbora)

Ingredientes

300g de camarão
1 abóbora de 1,5kg
sal à gosto
Pimenta-do-reino à gosto
Açafrão à gosto
1 colher (sopa) manteiga de garrafa
½ xícara manteiga
1 xícara de cebola ralada fina
½ xícara farinha de trigo
1 xícara leite
½ xícara requeijão cremoso
2/3 xícara creme de leite
3 colheres (sopa) azeite
2 dentes de alho picados
1 pimentão vermelho grande picado em cubinhos
½ xícara leite de coco
100g de abóbora cozida e passada no processador (opcional)

Modo de preparo

Faça uma abertura na parte superior da abóbora, retire as sementes e coloque para cozinhar na água por 20 minutos, escorra e reserve.

Tempere os camarões com sal, pimenta e açafrão. Aqueça bem a manteiga e refogue os camarões em fogo alto, por 2 minutos. Reserve.

Em uma panela coloque a manteiga e ½ xícara de cebola, deixe refogar sem dourar. Acrescente a farinha de trigo e mexa bem com um fuet até ela ficar marrom clara. Coloque o leite e mexa sem parar, acrescente o requeijão, o creme de leite, a abóbora triturada e acerte o sal.

Aqueça o azeite e acrescente o alho picado juntamente com o pimentão e a ½ xícara de cebola. Deixe refogando em fogo baixo por 20 minutos. Acrescente a esse refogado o leite de coco e triture no liquidificador. Misture o molho branco com o molho de pimentões e os camarões, acerte o sal se necessário e sirva na abóbora. Acompanhe com arroz branco e macaxeira frita.

(foto de divulgação)

fonte: Cuecas na Cozinha

Brownie do Jamie Oliver

17 de jun de 2015

by

In: RECEITAS

, ,

brownie8

Ingredientes:
250g de chocolate meio amargo
150g de chocolate ao leite (ou chocolate branco)
250g de manteiga amolecida sem sal
200g de açúcar mascavo
6 colheres de sopa de cacau em pó
4 colheres cheias de sopa de farinha integral
1 colher de chá de fermento
4 ovos grandes
Sal

Modo de preparo:
Comece picando o chocolate em pequenos pedaços irregulares mesmo e derreta-o em banho maria (ou no microondas se preferir) junto da manteiga e misture bem ambos até que vire uma massa maravilhosa de chocolate brilhante e espessa. Feito isso, coloque o chocolate em um recipiente e acrescente o açúcar mascavo, o chocolate em pó, uma pitada de sal para dar um gostinho, a farinha e para finalizar o fermento. Misture tudo muito bem e enquanto está misturando, acrescente os ovos um por um e continue mexendo tudo até que fique com a massa homogênea.

brownie1

brownie3

Pré-aqueça o forno e pegue uma assadeira pequena (pequena mesmo, daquelas de forninho elétrico, por volta de 30×15 centímetros) e forre com papel manteiga – se não tiver papel manteiga, unte a assadeira com manteiga e um pouco de farinha. Coloque a massa do browine na assadeira forrada e faça com que a massa se estenda igualmente por toda ela.

Para finalizar, quebre alguns pedaços não muito pequenos de chocolate ao leite (ou branco) e afunde eles de forma aleatória pela assadeira. Esses pedaços vão virar incríveis gotas de chocolate derretido, então seja generoso e espalhe bem pela massa.

brownie5

Leve o brownie para o forno a 200ºC. Agora vem a parte mais importante do preparo do brownie: você não pode deixar que ele fique completamente assado como um bolo normal, você vai tirar ele antes da hora mesmo. Assim ele fica um bolo mais molhadinho e não duro e seco. Em geral, 15 minutos são o suficiente para assar de forma que fique mal assado mas no ponto gostoso que não é tão mole. Tente fazer uma medida olhando como está o aspecto da massa, quando ela ficar brilhante e aparentemente assada, espete com um palito e veja se está grudando. Se grudar, ótimo, tire do forno! Mas lembrando que o todo do brownie deve estar com uma aparência mais assadinha mas o interior deve estar mais cru e grudento. Procure deixar entre 15 a 20 minutos, no máximo.

brownie4

O gostoso é comer enquanto está quentinho ainda, depois que esfria ele fica meio duro, então, é legal sempre dar uma esquentadinha no microondas antes de comer. Se quiser dar uma incrementada, coloque uma bola de sorvete.

fonte: http://cozinhaluisa.blogspot.com.br / fotos: Luisa Maxwell

Risoto de arroz vermelho, shiitake, pera e gorgonzola

15 de jun de 2015

by

In: RECEITAS

, , ,

risoto-banana-verde

Ingedientes

2 xícaras de chá de arroz vermelho cozido
6 colheres de sopa de alho-poró bem picado
3 colheres de sopa de azeite
1 xícara de chá caldo de legumes natural
1 xícara de café de vinho branco
1 xícara de chá de gorgonzola picado
3 colheres de sopa de nozes torradas e picadas
1 pera em fatias finas
1 colher de sopa de açúcar orgânico
1 bandeja de 200 gramas de shiitake cortados em cruz
Tomilho, sal, pimenta moída e ervas frescas a gosto

Modo de preparo

Preaqueça o forno.
Numa assadeira baixa sobreponha as fatias de pera e salpique o açúcar. Leve ao forno até ficar dourado.
Retire do forno e reserve.
Em uma frigideira coloque uma colher de azeite de oliva e duas colheres de sopa de alho-poró. Refogue bem e adicione o shitake. Deixe tudo ficar macio. Tempere a gosto e reserve.
Em uma panela grande coloque duas colheres de sopa de azeite e quatro colheres de sopa de alho-poró. Refogue bem.
Acrescente o arroz vermelho. Aos poucos coloque o caldo de legumes e mexa delicadamente.
Quando o arroz estiver mais seco, adicione o vinho branco e deixe evaporar.
Adicione o gorgonzola, mexa até ficar cremoso, misture com nozes e decore com as peras.
Reaqueça o shitake e disponha sobre o risoto.

fonte: Chef Priscilla Herrera do restaurante Banana Verde, São Paulo-SP
Imagem: Divulgação

Conchiglione recheado com cream cheese e bacon ao molho vermelho

9 de jun de 2015

by

In: RECEITAS

, ,

CozinhaTravessa_101

Ingredientes:

  • 12 conchigliones (coloque algumas a mais para cozinhar)
  • 1 potinho de cream cheese (aqueles de 150 gramas)
  • 1 pedacinho de bacon (esses que tem no supermercado)
  • 1 polpa de tomate (usei uma com manjericão)
  • alho e cebola para refogar
  • azeite
  • queijo ralado (de preferência na hora)

Preparo

Cozinhe a massa em água fervente e uma pitada de sal. É bom colocar mais massa para cozinhar, porque às vezes algumas podem rasgar na hora do cozimento.
Frite o bacon picadinho, escorra e reserve. Prepare o molho. Refogue 1/2 cebola média picadinha num fio de azeite e coloque a polpa de tomate ou se preferir 1 lata de tomates pelados. Desmanche os tomates com a colher, acerte o sal e deixe cozinhar por uns 5 minutos. Escorra a massa, que deve estar ao dente, e deixe esfriar até você conseguir pegar com as mãos.

Recheando: pegue uma pontinha de uma colher de cream cheese e coloque em cada conchiglione, colocando todos num refratário. Depois coloque um pouquinho de bacon dentro de cada massa e regue tudo com o molho de tomate. Rale um pouquinho de parmesão por cima. Leve ao forno preaquecido 180º C para gratinar de 15 a 20 minutos. Para servir use uma folhinha de erva fresca para decorar.

fonte e imagem: http://cozinhatravessa.com.br/

Vinho com refrigerante – francês!

chamada_vinho_doce_frances_fixed_medium

Château en Bordeaux cria rótulo mais doce com sabor cola para expandir seu mercado

Procurando uma maneira de atrair o público jovem e feminino, a Hausmann Famille, que faz parte da Château en Bordeaux, lançou o Rouge Sucette, vinho feito com uma dose de refrigerante de cola, 75% de uvas, e açúcar, de forma a atrair mais jovens e mulheres para o mercado de vinhos.

O produto foi pensado para resolver o problema de queda de consumo de vinhos na França, que caiu muito. Em 1980, mais da metade dos adultos tomavam vinho diariamente, atualmente, o número é de apenas 17%, além do fato do número de pessoas que nunca bebem vinho ter aumentado em 38% nesse tempo. O Rouge Sucette, que significa pirulito vermelho, é mais barato que o vinho.

O mercado de vinhos com outros sabores não é novidade para os franceses. Na França é possível encontrar vinhos com sabor de toranja e vinhos brancos com maracujá.

20 queijos para um evento de “Queijos & Vinhos”

queijos-e-vinhos-1

A Revista Adega selecionou 20 queijos que podem ser encontrados nos grandes centros e com perfil mais adequado para um evento de “Queijos & Vinhos”. Foram utilizados os queijos frescos e os frescos curados, e eleitos apenas uma amostra do grupo dos queijos temperados. Entre os 20 tipos, apenas o Pecorino e o Roquefort são produzidos com leite de ovelha. Os demais são feitos com leite de vaca. Os selecionados foram:

- Queijos Branco Moles: Brie (França) e Camembert (França)

- Queijos Semimoles: Asiago (Itália), Appenzeller (Suíça), Edam (Holanda), Gouda (Holanda), Masdam (Holanda) e Munster (França)

- Queijos Duros: Emmenthal (Suíça), Gruyère (França), Prima Donna (Holanda), Grana Padano (Itália), Parmigiano Reggiano (Itália), Pecorino (Itália) e Aged Cheddar (Inglaterra)

- Queijos Azuis: Bleu d’Auvergne (França), Gorgonzola (Itália), Roquefort (França) e Stilton (Inglaterra)

- Queijos Temperados: Tilsit com sementes de cominho (Alemanha)

Os vinhos

Recomendações clássicas utilizando seis vinhos que, pela diversidade de características, abrangem boa parte do espectro de harmonizações possíveis com queijos. Os selecionados foram:

Champagne Pol Roger Brut Reserve – Não se pode esperar menos do que perfeição de um produtor de Champagne como Pol Roger. Exemplar muito acima da média para um non vintage. Encorpado e com acidez marcada. Destaque para cogumelos e nozes no nariz. Com final amanteigado, quase cremoso.

Selbach-Oster Riesling Zeltinger Sonnenuhr Kabinett Trocken 2007 – atende com sobras a expectativa de acidez, perfeitamente equilibrada com o álcool e o corpo. No nariz, o destaque são as stone fruits, como pêssego e nectarina.

Domaine Martin Schaetzel Gewürztraminer Cuvée Réserve 2009 – uma explosão de aromas de frutas brancas e flores, sobretudo de laranjeira. A leve doçura e acidez totalmente integrada garantem a harmonização no nível pretendido.

Domaine Pierre Labet Beaune Clos du Dessus des Marconnets 2006 – cerejas e framboesas dão um toque quase doce. Taninos, álcool e acidez perfeitamente equilibrados, o que torna cada um deles discreto e facilita gostar desse vinho.

Oreno 2006 Tenuta Sette Ponti – um monstro de frutas negras. Taninos extremamente macios dão estrutura e equilíbrio a este maravilhoso super toscano. O final dura eternamente.

Burmester 10 Years Old Porto Tawny – frutas secas, sobretudo figos, tâmaras e passas, e caramelo tostado. O volume de açúcar não é excessivo, e os 20% de álcool passam quase despercebidos. Vinho versátil, abre e fecha refeições, não se intimida com pratos ricos com foie gras, amêndoas ou nozes e, além dos queijos azuis, cai muito bem com sobremesas de chocolate amargo.

fonte: Revista Adega